Bem-vindo a Fortal Casas, estamos aqui para atendê-los!
Bem-vindo a Fortal Casas, estamos aqui para atendê-los!
INFORMAÇÕES
Inicial
A Empresa
Vender / Alugar meu Imóvel
Pesquisa Completa
Imóveis para Venda
Imóveis para Locação
Financiamento
Notícias
Fale Conosco


NOTÍCIAS
08 de Julho
Produtos siderúrgicos já são 50% das exportações do Ceará
04 de Janeiro
Cenário macroeconômico é positivo para o Brasil em 2017
16 de Novembro
Pecem/CE: chinesa deve aplicar US$ 4 bi em refinaria
22 de Abril
Investimento estrangeiro no País soma US$ 17 bilhões






Notícias
16/11/2016
Nova Refinaria no Pecem/CE
Pecem/CE: chinesa deve aplicar US$ 4 bi em refinaria
 

CE: chinesa deve aplicar US$ 4 bi em refinaria

O memorando de entendimento para a realização de estudos para a instalação de uma refinaria dentro da área da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Ceará, acordado ontem entre o governador Camilo Santana e representantes da empresa chinesa Guangdong Zhenrong Energy, deve render ao Estado, caso os indicadores se mostrem propícios, um investimento de US$ 4 bilhões e a geração de aproximadamente 10 mil empregos durante a construção do empreendimento e mais oito mil postos, entre diretos e indiretos, durante a operação plena, segundo estimou o governo cearense.

A planta de refino visada pelo governador deve produzir, diariamente, um número de 300 mil barris de petróleo e, de olho nisso, a também chinesa Qingdao Xinyutian Petroquímical participou da cerimônia que selou o memorando, realizada ontem na província de Guangzhou.

"Esse é um passo importante para viabilizarmos a refinaria em nosso Estado. O empreendimento, que estará dentro da nossa Zona de Processamento de Exportação, deverá gerar pelo menos 10 mil empregos na fase de construção e 8 mil postos permanentes entre diretos e indiretos", reforçou o governador Camilo Santana, que foi a China acompanhado dos secretários Antônio Balhmann (Assuntos Internacionais) e André Facó (Infraestrutura).

Os recursos para financiar o projeto, ainda de acordo com as informações do governo cearense, devem ter origem em bancos chineses. O comunicado do governo ainda informa que memorando assinado ontem deve-se ao acordo fechado pelo governo brasileiro e o chinês no início deste ano - ainda quando a ex-presidente Dilma Rousseff comandava o Executivo.

Empreitada

A busca por uma refinaria para o Ceará data mais de uma década e busca ainda sanar uma demanda interna antiga por uma planta de refino que atenda, a partir de uma localização estratégica, os mercados do Norte e do Nordeste do País. No entanto, na história mais recente, o Estado amargou perdas.

Já no ano passado, a estatal petroleira anunciou o plano de desinvestimento e, após anos de atraso no cronograma de instalação da refinaria Premium II, na área prevista para o primeiro projeto, decretou que não tinha mais interesse em dar andamento ao projeto de instalação de uma planta de refino no Ceará.

A partir daí, o governo cearense empregou uma nova empreitada para captar um novo parceiro comercial que viabilizasse economicamente a instalação de uma indústria do tipo no Estado. Entre idas e vindas, a parceria entre os governos brasileiro e chinês aproximou players asiáticos de atuação internacional do setor de petróleo e gás do Executivo cearense e parece caminhar para a finalização do negócio. "A China, hoje, tem muito interesse em investir no País, em especial no Ceará. Os chineses estão impressionados com o nosso Estado, pela estrutura que disponibilizamos, a localização e, principalmente, por conta da Zona de Processamento de Exportação. Isso abre muitas perspectivas de novos negócios para o Estado", ressalta o governador em nota, ao comemorar a assinatura do termo na China.

Prudência

Perguntado sobre a multinacional de petróleo Guangdong Zhenrong Energy - com a qual o governo cearense assinou o memorando de entendimento -, o consultor do mercado de petróleo e gás Bruno Iughetti disse ser a empresa "uma ilustre desconhecida do mercado internacional" e aconselhou prudência ao governo cearense na captação deste empreendimento.

"É importante que o governo cearense tenha o portfólio dela, com informações detalhadas sobre onde atuou, com que tipo de negócio, entre outros", detalhou o especialista.

Iughetti ainda alertou para outros fatores que devem interferir diretamente na dinâmica da planta de refino no Ceará, como os insumos. De acordo com ele, "uma empresa que planeja produzir 300 mil barris de petróleo por dia ou vai importar insumo - o que seria ruim para a nossa balança comercial - ou possui tecnologia capaz de explorar o pré-sal, o que é bastante difícil".

Exportação ou importação

"Acho que o projeto de uma refinaria aqui no Ceará tem que levar em consideração atender nosso mercado interno, nas regiões Norte e Nordeste, livrando o Ceará de desabastecimento", reforça o consultor, observando que "a instalação da refinaria na Zona de Processamento de Exportação deixa implícito nas entrelinhas que o interesse da empresa é exportar a produção".

Isso porque a ZPE do Ceará possui legislação que facilita a venda da produção para fora do Brasil a partir de benefícios fiscais. Segundo analisa, "é preciso refino aqui no Brasil, pois no mercado internacional existe um movimento refratário à compra de derivados prontos, devido às recessões econômicas do mercado europeu e americano".

FIQUE POR DENTRO

Investidora é especializada em energia

Guangdong Zhenrong Energy Co., Ltd. (GDZR) foi fundada em 2002 e é especializada em comércio e investimento de energia e recursos naturais, concentrando-se em commodities como metal, carvão e produtos químicos. Zhuhai Zhenrong Company, o maior acionista da GDZR, é uma empresa de propriedade estatal em grande escala e uma das 5 maiores empresas de comércio de petróleo e produtos petrolíferos registrados na OMC. Nos últimos anos, a GDZR comprometeu-se a investir no sector da energia, que inclui, em grande parte, refinaria.

Um destes projetos foi uma planta de refino em Myanmar, também na Ásia. Um memorando foi assinado entre a companhia e representantes do governo em 2011. A GDZR diz esperar que o projeto esteja em pleno funcionamento em poucos anos. Suas instalações de apoio, incluindo pipelines, instalações de enchimento de gás e zona industrial química estão sob planejamento.

 
 
Fonte: Diario do Nordeste - Edição Nº: 4186 - 16.11.2016
Outras Notícias
03
07
Visita à CSP deixa embaixador coreano impressionado (03/07/2015)
[+] saiba mais
02
07
Dilma diz que relação entre o Brasil e os EUA está em novo patamar (02/07/2015)
[+] saiba mais
03
07
Diretoria da TAM sinaliza instalação de HUB no Ceará
[+] saiba mais
29
06
Governo quer ampliar atuação da ZPE Ceará
[+] saiba mais
29
06
Brasil e China anunciam fundo de US$ 20 bi para financiar indústria e logística
[+] saiba mais
24
06
Hub portuário no Pecém
[+] saiba mais
10
07
Energias renováveis são o futuro no Ceará
[+] saiba mais
10
07
BNDES assina acordo com Banco dos Brics
[+] saiba mais
23
07
Fortaleza entre as cidades com chances de receber futuro hub da Avianca no NE
[+] saiba mais
03
08
Ceará se destaca no crescimento do Nordeste
[+] saiba mais
 
Voltar

Este cálculo é um oferecimento de www.ecalculos.com.br

Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
9111 Repita ao lado:
Site em
Versão Mobile
Acesse nossos imóveis
de qualquer dispositivo.
Negocie
Seu Imóvel
Oferecemos o melhor suporte
para negociação do seu imóvel.
Não Achou
O Imóvel?
Informe as caracteristicas
do imóvel que deseja.
Atendimento
Personalizado
Entre em contato para
que possamos lhe ajudar.

FORTAL CASAS IMOBILIARIA LTDA
Rua Senador Almino n. 231, Praia de iracema - Fortaleza

Creci. 
1027J
www.fortalcasas.com.br © 2018. Todos os direitos reservados.
Site para Imobiliarias
Site para Imobiliarias